0800 41 8021
Como enfrentar a morte e lidar com a perda de um ente querido

Como enfrentar a morte e lidar com a perda de um ente querido

Entre as diversas dificuldades impostas pela vida, enfrentar a dor causada pela perda de uma pessoa próxima é uma das mais árduas.  No entanto, o luto é uma etapa natural que pode ser vivida de maneira saudável e, para isso, é importante compreender as emoções que tendem a se manifestar. 
 
Ignorar ou suprimir os sentimentos ligados à perda prolonga a tristeza e adia a superação, podendo gerar traumas emocionais. Por isso, é fundamental aceitar a dor e se permitir chorar e desabafar sempre que necessário, seja com um amigo e/ou familiar ou com um profissional.
 
Cada um tem sua maneira de lidar com a tristeza e seu próprio tempo para superar uma perda, mas, para facilitar o entendimento sobre a vivência desse momento, a psiquiatra suíça Elisabeth Kübler-Ross desenvolveu um método que divide o luto em cinco estágios. Os resultados foram publicados no livro “On Death and Dying”, de 1969:
 
Etapas:
1 – Negação
O primeiro momento é marcado pela resistência em aceitar o que aconteceu. Muitas pessoas acabam se isolando por não quererem falar sobre o assunto com os outros.
2 – Raiva
Ao compreender que não há nada que possa ser feito para reverter a situação, a angústia vira revolta, geralmente acompanhada de questionamentos como “entre tantos outros, por que isso aconteceu comigo?”.
3 – Negociação
Passada a ira, é iniciado o momento de negociação interna, com reflexões e promessas que, comumente, estão relacionadas a tentar ser mais gentil, mais saudável, uma pessoa melhor, entre outros.
4 – Depressão
A consciência da perda começa a ser construída e, com ela, surgem sentimentos de melancolia, apatia, impotência, culpa e desesperança.
5 – Aceitação
A realidade vem à tona e o vazio é preenchido com saudade lúcida. Após aceitar a perda, o sentimento é de tranquilidade e conclusão.
 
A psiquiatra acredita que, compreendendo esse processo, o indivíduo conseguirá passar pelas etapas de maneira mais saudável, sabendo que cada uma delas será passageira e faz parte de seu desenvolvimento como ser humano.
 
Reflita
Onde se encerra um ciclo, inicia-se outro. Esteja aberto à mudança que acaba de começar, não se culpe por erros do passado e deixe o “e se...” para trás. Valorize o legado deixado pelo seu ente e não se esqueça de dar importância a si mesmo, retomando seu propósito.